terça-feira, 21 de outubro de 2014

Exposição fotográfica de alunos da ‘Giusfredo Santini’ segue no Forte São João, em Bertioga até dia 26 de outubro de 2014.

Foto Marcos Pertinhes

                    ‘Do jacaré ao manguezal – um click atrás do outro’ é o tema da exposição fotográfica dos alunos do 4º ano da Emef Giusfredo Santini, que foi aberta na sexta-feira (17), no Forte São João e que pode ser visitada até o próximo dia 26. O prefeito de Bertioga e o secretário de Educação participaram da abertura da mostra e foram recepcionados com festa pelas 29 crianças, que são alunas da professora Susana Félix.
                  O prefeito se emocionou com o trabalho dos pequenos e já solicitou ao secretário de Educação que envide esforços para elaborar um projeto que dote as unidades escolares de equipamentos para que a fotografia faça parte do dia a dia das crianças. “Temos que incentivar nossas crianças a ações como essa, que conscientizam a proteger e zelar pelo meio em que vivemos. Estou muito orgulhoso de vocês”, disse o prefeito. O interesse dos alunos pela fotografia surgiu enquanto a professora explicava em sala de aula o tema “notícia”. Os alunos utilizaram como base do aprendizado a notícia sobre a captura de um jacaré-de-papo- amarelo, no bairro Jardim Vicente de Carvalho, onde a maioria dos alunos mora. A partir de então, mesmo a maioria não tendo computador em casa, eles iniciaram ‘in loco’ uma pesquisa por meio da internet, no Acessa São Paulo; em livros e outros meios de comunicação sobre aquela espécie de jacaré.

                As fotos da captura, que aconteceu em maio deste ano, também chamaram a atenção dos alunos. Toda ação foi registrada pela fotógrafa da Diretoria de Comunicação da Prefeitura de Bertioga, Renata de Brito, que foi procurada pela professora Susana, para a realização da parceria que resultou na exposição fotográfica. Durante esse processo de realização, os alunos participaram de saídas no Barco Escola Arca do Saber, pelo canal de Bertioga e Rio Itapanhaú, quando clicaram a flora e a fauna do manguezal e também fizeram uma saída, a pé, pelo mangue, no próprio bairro, onde conheceram de perto as aves que habitam aquela região como o biguá, mergulhão e muitas outras. 
          O resultado são 58 imagens de 29 fotógrafos mirins, que mostram desde o mangue preservado, em uma visita no barco escola Arca do Saber, até o mangue degradado, no próprio bairro onde está localizada a escola. O Jardim Vicente de Carvalho vem passando por obra de reurbanização que contempla também a recuperação do manguezal. A exposição é uma parceria da Diretoria de Comunicação, com apoio da Secretaria de Educação e Diretoria de Cultura e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas. A entrada é livre. O Forte São João fica na Avenida Vicente de carvalho, entre o Canal de Bertioga e a Praia da Enseada.





Foto Dirceu

Foto Marcos Pertinhes

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Curso: É possível a escola encantar as crianças?


Olá, amigos.
Gostaria de convidá-los para participarem comigo do curso promovido pela Rosaura Soligo, o qual venho participando desde o ano passado.


Se quiserem conhecer um pouco sobre ele, eis um resumo da própria Rosaura:
“É possível à escola encantar as crianças?” nasceu como um curso há uma ano.
Nasceu como uma pergunta e, ainda que as perguntas não cessem, nenhum dos profissionais que fez/faz parte dos nossos encontros tem de fato esta como uma dúvida. Sim. É possível! Como não?!
Foram três os cursos, com o tipo e o tom ajustados a cada grupo, que é sempre esta a proposta. E logo logo acontecerão outros dois.
“Quem ensina a estudar?” veio logo depois e foram dois cursos, em São Paulo e Campinas.



Em seguida, por ideia de quem andou por estes, surgiu outro tempoespaço singular de produção e partilha de conhecimentos: “Metodologias Dialógicas de Formação”.
E “O que querem de nós as crianças?” foi a última ideia, que se revelou iluminada com a presença do psicólogo Alexandre Coimbra Amaral num colóquio ao mesmo tempo potente e delicioso, onde dialogamos sobre temas pouco conversados na educação.
Todos os encontros foram para mim um privilégio! 
É nestes momentos que aprendo coletivamente sobre a educação, sobre a escola, sobre formas de aprender e ensinar e sobre quem somos nós afinal, que tanto desejamos encantar alunos, professores e a nós próprios.
Agradeço a todos que vieram para os cursos – alguns de muuuuuito longe! – com a certeza ou a impressão de que vinham para uma comunidade. “Comunidade que é a amizade cúmplice daqueles que foram mordidos por um mesmo veneno – a amizade consiste em haver sido mordidos e feridos pelo mesmo, em haver sido inquietados pelo mesmo” (tal como diz lindamente Jorge Larrosa).
Agradeço aos muito especiais convidados que vieram contribuir, trazendo suas experiências de encantamento: Cristina Campos, Adriana Alves, Adriana Pierini, Guilherme do Val Toledo Prado, Vanessa Simas, Alexandre Amaral. E a todos que de algum modo ajudaram tudo isso acontecer!



Sobre Rosaura Soligo:

Formada em Psicologia e Pedagogia, mestre, doutoranda e pesquisadora na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. É coordenadora de projetos do Instituto Abaporu de Educação e Cultura, parceiro de várias Secretarias de Educação no Brasil. Possui experiência com alfabetização de crianças, formação continuada, assessoria curricular, documentação da prática profissional, produção de material pedagógico e vídeos educativos. É autora de livros, publicações institucionais e muitos artigos na área da educação. Integra o GLEACE Grupo Latinoamericano de Especialistas en Alfabetización y Cultura Escrita e o GEPEC Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Continuada. Incentiva pessoas a escreverem e coordena algumas páginas na internet destinadas a essa finalidade e abertas à participação de quaisquer interessados: www.facebook.com/DesAmorosas é uma delas. Página das produções: http://rosaurasoligo.wordpress.com/

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Quando usar os advérbios "onde" e "aonde"

Por  Adirene Morais Santos

Hoje minha dica é sobre os advérbios, “onde” e “aonde”, pois sempre há dúvidas na hora de utilizá-los e na maioria das vezes acabamos empregando-os de forma incorreta.
Confira abaixo seus significados e quando usar:
Onde: Indica lugar em que algo ou alguém está e deve ser usado para substituir vocábulos que expressem ideia de lugar.
       Não sei onde estou.
·         Não sei onde fica a Rua 15 de Novembro.
Aonde: também indica lugar em que algo ou alguém está, porém não deve ser usado com o sentido de localização e, sim de movimento ou destino:
       Aonde você vai?
       Aonde você irá depois do trabalho?
Algumas pessoas não dão o devido valor a aprendizagem da sua língua materna, porém é de suma importância para nosso sucesso profissional e pessoal que saibamos usá-la da forma mais correta possível, por isso não importa aonde você vá ou onde você esteja, procure sempre aprender e usar corretamente nossa Língua Portuguesa, tão bela e encantadora com todas as suas regras e, principalmente suas exceções.
Professora de Língua Portuguesa e Inglesa, moderadora do Grupo Professores Solidários, moradora de Minas Gerais.
Corrijo Trabalhos Acadêmicos e Escolares